Central de Adubos

Aliado da produtividade, Revipower maximiza fotossítese e proporciona maior acúmulo de reservas na planta

Períodos nublados afetam, diretamente, a produtividade das plantas. A pouca luminosidade compromete o processo pleno de fotossítese, impactando de forma negativa na produção de carboidrato e de energia desse vegetal.

“À medida que a planta produz energia, ela gasta energia para produzir energia. Então, é um negócio cíclico, ela está produzindo, mas também está gastando muito para produzir”, explica o consultor técnico de vendas da Aqua do Brasil no Vale do São Francisco, Alex Xavier.

E, para evitar a estagnação da planta, o CTV apresenta aos produtores da região o Revipower. Trata-se de uma ferramenta zero resíduo, com ação direta na produção de energia através da otimização do processo fotossintético, aumentando sua efetividade e com menor gasto energético por respiração.

“O Revipower faz com que a planta produza muito mais, com mais carboidrato dentro dela. Ele faz também com que esse processo fotossintético seja mais inteligente, produzindo mais com menos gasto de energia. Na verdade, ele regula a planta, fazendo com que ela seja muito mais efetiva na produção de energia”, detalhou.

Xavier ressalta que o Revipower é comercializado com exclusividade pela Central de Adubos e pode ser usado em todas as fases da planta. “Com isso, ela sempre estará acumulando mais reserva, mais energia,  que significa que a planta trabalhará melhor. Nessa época em que temos pouca luminosidade, ela vai realizar a fotossíntese em um período menor”.

Além da questão relacionada à pouca luminosidade, períodos úmidos proporcionam a entrada de doenças nos pomares. “Nesses casos, a planta para de fazer tudo para se defender, porque ela quer sobreviver. Há muitos trabalhos que comprovam que a planta redireciona mais a energia na parte de produção. É por isso que quando entra uma doença, ou um déficit, ou um estresse, onde a gente mais sente queda é na produtividade. Então, é possível trabalhar com o Revipower em todos os ciclos”.

Questionado sobre os intervalos necessários para aplicação, Xavier explicou que há duas situações que precisam ser observadas. “Em culturas perenes, como a uva e a manga, após a poda há um pico no consumo de energia porque a planta precisa brotar. Na floração, também há um consumo maior de energia dessa planta para fazer o pegamento. E já mais na frente temos a fase de preenchimento de fruto, com o aumento de brix. Por isso, é importante aplicar sempre o Revipower, inclusive porque na sua fórmula não há nada que possa atrapalhar esses processos”.

QUEM LEU ESSA NOTÍCIA, TAMBÉM LEU ESTAS: